HOME
REALESE
PHOTOS
DISCOGRAPHIC
MERCH
MUSIC
NETWORK
VIDEOS
CONTACTS
O R.I.V. surgiu no final de 1988 com Cláudio Freitas na Guitarra,
Uil Camilozzi na Bateria/Vocal e Luciano Moraes no Baixo.

Em 1989 entra na Banda, Sandro Martins na Bateria e Helbert de Sá na
Guitarra e Uil fica apenas nos Vocais.

Seis meses antes da gravação do LP 7" - "RHYTHMS IN VIOLENCE", Uil muda-se para os E.U.A. Para substituí-lo entra o Vocalista Davidson Silva. O lançamento deste LP foi bastante elogiado pela crítica mostrando que o R.I.V. tinha uma proposta própria de som que na época era o CROSSOVER ou seja a mistura do Thrash Metal com o som Hardcore.
O R.I.V. começou a chamar a atenção e inclusive abriu um show para o SEPULTURA no lançamento do disco “Beneath the Remains” em BH em agosto/1991.  Houve um público de mais de 3000 pessoas na antiga casa de shows Ginástico.
Pouco tempo depois houve a saída de Cláudio e Sandro, e foi feito um
convite a Ricardo Parreiras (ex-DISEASE) para assumir a Bateria.
A banda permaneceu com apenas um Guitarrista.

E em 1992 com a ajuda do Técnico em Masterização, Eugênio de Sá, foi gravado o LP 12" - "Is this a Modern World?".  Este pode ser considerado o primeiro LP de Metal do Brasil gravado com a tecnologia de Trigger de bateria que hoje é padrão de gravação de várias bandas no mercado nacional e internacional.
Seu lançamento foi em 1993.
Em 1996 o Baixista Luciano muda-se para os E.U.A e os outros integrantes
tiveram objetivos diferentes e a banda entrou num processo de términos de atividades e um período de "incubação" e pararam os shows e ensaios.

Houve algumas tentativas de voltar o R.I.V. ao longo dos anos, porem somente  a partir do final de 2015 houve o retorno efetivo da banda.

Então a banda RHYTHMS IN VIOLENCE depois de vinte anos volta a ativa com os membros da formação original HELBERT DE SÁ (agora nos Vocais/Guitarra) e CLÁUDIO FREITAS (guitarra) junto com o baterista do segundo álbum RICARDO PARREIRAS e para completar o grupo RODRIGO BOECHAT no baixo.

"A nova proposta é fazer um som que a banda  batiza como PROGRESSIVE CORE ou simplesmente PROG-CORE. Um som estritamente trabalhado com bases rápidas e variadas, com uma bateria porrada explorando ao máximo a criatividade, um baixo marcante e, finalmente, com um vocal maduro/agressivo sem faltar no CROSSOVER, THRASH METAL e HARD CORE."

Em junho de 2016 grava-se a DEMO CD "Welcome to PROG-CORE" com 4 músicas: HEADACHE, ANIMAL (regravação da música do primeiro album), FREAKS IN ACTION e NO…P.A.S. Foram distribuidas mais de 1000 CD demos deste trabalho. Este foi o primeiro trabalho artístico gráfico de Helbert de Sá. A capa do encarte foi bastante elogiado pela crítica e relembrou bastante as origens do R.I.V. E a proposta inovadora deste estilo de som foi primordial para a gravação do CD "PROG-CORE".
Em 2016 e 2017 o R.I.V. Foi convidado a participar em duas coletâneas: Expresso do Subúrbio V2 com a música " Animal" e RODIE-METAL 9 com a música "Headache" ambas do CD Demo "Welcome to Prog-Core".
A nova proposta musical do R.I.V.  Entitulada PROG-CORE chamou a atenção da maior revista de Heavy Metal do Brasil a RODIE CREW e na edição #226 houve uma  chamada na seção GARAGE DEMOS que obteve uma excelente repercussão.

Em 2017, a banda agora somente permanece Helbert de Sá e Ricardo Parreiras.
O grupo se focaliza na gravação do novo CD - "PROG-CORE" previsto para sair no final do mesmo ano. Em maio de 2017 dois meses antes de entrar em Studio o R.I.V. é apresentado a baixista Ana Lima, por Eugênio de Sá. Os membros fizeram a prosposta de convite para a mesma participar das gravações do CD PROG-CORE.

Para Helbert de Sá
" Ana lima é unica, além de ser uma excelente baixista pegou o espírito do som do R.I.V."
Seu trabalho de baixo no CD  foi fenomenal ela é perfeita.

As gravações do CD "PRG-CORE" começaram em julho de 2017 e terminaram em maio de 2018.  O estúdio escolhido foi o STUDIO EMINENCE onde o técnico de áudio ALAN WALLACE  participou das gravações da bateria, vocais e baixo. As guitarras foram gravadas no HOME STUDIO do RIV gravadas pelo Engenheiro de Áudio Helbert de Sá. A mixagem e masterização final ficou por conta também de Helbert de Sá.


O R.I.V. Agora segue sua atividades apresentando-se em shows e preparando um novo material para 2020.
O CD conta com 12 músicas sendo 4 músicas da CD DEMO anterior. Regravação da música War Flames (War Plagues) do LP 7" de 1990 com novos arranjos e mais 7 músicas inéditas.

O CD possui uma proposta artística diferente. Ele é um DIGIPAK duplo em sua  primeira abertura há um mosaico de imagens agrupadas aonde possui as 12 músicas do CD. De acordo com Helbert de Sá, criador da capa e do painel mosaico interno, todas as t emáticas na qual  R.I.V.  aborda estão interligadas. Os temas de "Ganância empresarial, Violência, Ficção, Respeito as diferenças, Problemas de Família e Comportamento Humano  estão todas abordadas neste paniel.